Edições-2016



LOGOTIPO DNEGOCIOS (55)(41)3424-6382

         
novembro de 2016

Proclamação da República

Seleção de Livros! Clique e confira.
         

A COMIDA MINEIRA


cozinha mineira
Com base na crônica “A Comida Mineira” . De Sylvio Bazote.

A comida mineira reúne simplicidade, sabor e tradição. Remonta à época do ciclo do ouro e pedras preciosas, e resulta do encontro de diferentes raças e culturas. É considerada uma das culinárias mais ricas, diversificadas e características do país, e nasceu da necessidade de se comer bem com pouco tempo e poucos recursos disponíveis.
        O tempo passou, os costumes evoluíram e a cozinha mineira manteve suas qualidades, ganhando destaque dentro e fora do Brasil. A simplicidade marcante da culinária mineira e seus sabores característicos estão intimamente ligados ao período colonial. O modo de preparo e os temperos fáceis garantem os pratos típicos, ricos e variados, como os diferentes tipos de linguiça, o torresmo, o feijão tropeiro e o frango com quiabo, angu e couve, alem dos queijos, doces, bolos, broas e pão de queijo. A cachaça mineira ganhou destaque como bebida apreciada pelos europeus e é exportada para diversas partes do mundo.
        Em Minas, as receitas familiares passam, de geração em geração, através de cadernos cuidadosamente escritos a mão, registrando os segredos de sua culinária. A hora das refeições é o momento do encontro familiar, da “prosa” e da integração entre as pessoas.
        Por causa de suas multiplas origens, da busca pela riqueza rápida e dos altos preços praticados por ambiciosos mercadores, os habitantes de Minas Gerais criaram um jeito mais fácil e barato de comer. Os pratos mineiros mais tradicionais são criados a partir de ingredientes do fundo do quintal de casa (frango, porco, feijão, milho, mandioca e verduras). Outra característica que desafia o tempo é a fartura. Come-se muito bem nas casas mineiras, principalmente no interior, onde uma visita é obrigatoriamente seguida de café fresco, broas de milho, pão de queijo e doces com queijo branco.
        Com a descoberta das “Minas Gerais”, o Brasil viveu durante o século XVIII o ciclo do ouro. Ouro e diamante atraíam milhares de pessoas de diferentes regiões, interessadas em ganhar dinheiro com o garimpo. Na época toda aquela região era pouco explorada e os índios ainda em número significativo, ofereciam resistência aos exploradores. Em pouco tempo as áreas de mineração se tornaram o mais importante centro econômico do Reino Português, polarizando atividades produtivas do Brasil inteiro num comércio que trazia comida, roupas, ferramentas e artigos de luxo para Minas Gerais.
        As cidades ficaram superlotadas causando a escassez de alimentos. Nas terras afastadas das cidades, ainda sem donos e procuradas pelos que chegavam, a situação era ainda mais difícil para se conseguir comida. Na ânsia de tornarem-se ricos rapidamente, todos preferiam garimpar ao invés de gastar tempo plantando, cuidando e colhendo alimentos. As terras irrigadas, próximas aos rios não eram usadas para plantações, porque, como ofereciam ouro de forma mais fácil e rápida, eram controladas por pessoas armadas pelos ricos. Quando alguém iniciava algum plantio, logo aparecia no solo alguma coisa parecendo ouro ou diamante, e a plantação era destruída pelos próprios plantadores ou outras pessoas em busca de riquezas. Existem registros das autoridades portuguesas de imigrantes que morreram com a barriga vazia e a bolsa cheia de ouro. O isolamento, a dificuldade de alimentação e a insegurança que gerava violência e roubos levaram muitos a desistir da mineração.
        Portugal, interessado na extração das riquezas, começou então a organizar povoações com destacamentos militares e instituições burocráticas, fazendo surgir uma nova leva de exploradores mais organizados e mais produtivos. As primeiras vilas como Mariana, Ouro Preto, Sabará, Diamantina e São João del-Rei, surgiram nesse período, com grande quantidade de escravos sendo usados para a procura de ouro e diamante em rios e minas. Juízes, militares, funcionários públicos, profissionais liberais, comerciantes e artistas formavam a sociedade de Minas Gerais.
        A falta de espaço nas vilas e povoados ao redor das minas fez surgir pequenas hortas e pomares onde alimentos de fácil cultivo como mandioca, couve, taioba, feijão, milho, inhame, abóbora, banana, laranja, goiaba, e outras frutas forneciam o sustento diário. Animais de pequeno porte e baixo custo de manutenção como porco e galinha também eram criados no limitado espaço das casas, fornecendo carnes e ovos para o preparo de diversos pratos. Até hoje os pratos mineiros se baseiam em carne de galinha, porco e seus derivados.
        Pratos como leitão a pururuca, linguiça frita, couve refogada, tutu de feijão, frango com quiabo, vaca atolada (caldo de mandioca com costela de boi), e angu, fazem a culinária mineira ser reconhecida pelo seu sabor e suas características.
        O sal era escasso e caro, por isso usava-se pouco sal e os alimentos eram feitos à base de temperos fáceis e baratos como raízes, salsa, cebolinha, urucum e outros brotos nativos. Assim, a cozinha mineira se formou sem requintes, com os recursos do quintal de casa, e tendo a criatividade como principal ingrediente.

Restaurante Sabor Mineiro - Paranaguá


Seleção de Livros! Clique e confira.
         

EDITORIAL

OPORTUNIDADE VERSUS CARÁTER

"Quando você tem oportunidade de roubar R$ 0,50 (cinquenta centavos) tirando cópia pessoal escondido, na impressora do trabalho, você não perde a oportunidade. Quando você tem oportunidade de roubar R$ 5,00 (cinco reais) levando para casa a caneta da empresa, você não deixa passar esta oportunidade. Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 25,00 (vinte e cinco reais) pegando uma nota mais alta na hora do almoço para a empresa reembolsar, você não perde a oportunidade. Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 50,00 (cinquenta reais) de um artista comprando um DVD pirata, você não perde a oportunidade. Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais) comprando uma antena desbloqueada que pega o sinal de satélite de todas as TV’s a cabo, você não perde a oportunidade. E você também não perde a oportunidade de roubar R$ 469,99 da Microsoft baixando um Windows crackeado num site ilegal. Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 2.000,00 (dois mil reais) escondendo um defeito do seu carro na hora de vendê-lo enganando o comprador, você não perde a oportunidade.
        Você não compra votos, mas compra guarda de trânsito, funcionários públicos, e tudo mais que apareça com alguma “vantagem”. Você devolve a carteira mas rouba o dinheiro, sonega imposto de renda, dá endereço falso para adquirir benefícios que não tem direito, etc, etc. etc… Bom, se você trabalhasse no Governo, e caísse no seu colo a oportunidade de roubar R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) com certeza você não perderia a oportunidade. Tudo é uma questão de acesso e oportunidade.
        O problema do Brasil não são só os políticos que estão lá em cima. Eles, são só o reflexo dos quase 200 milhões de oportunistas aqui embaixo. Os políticos são estes mesmos oportunistas. Só aumentaram as oportunidades.
        Vai ser difícil limpar o Brasil…"

        Esse texto está rodando na internet como se fosse autoria do juiz federal Sergio Moro, mas não é. Esse mesmo texto que já foi espalhado como sendo de autor desconhecido. Foi publicado pela primeira vez no facebook pelo Pastor Creuse Santos da Igreja Batista de Barueri em 11 de março deste ano e dia 25 de outubro, o mesmo Pastor Creuse Santos, faz uma defesa do texto como sendo de sua autoria. Mas, reconhecendo os méritos de quem escreveu, o importante mesmo é que se trata de um texto objetivo e corajoso, e se não se aplica a todos os cidadãos brasileiros, nos faz refletir sobre o assunto.
        É preciso admitir que a corrupção só acaba quando for impossibilitada. As leis (como as que regulam o uso do "Cartão Corporativo" e as que permitem o estouro do teto salarial de funcionários públicos do primeiro escalão por exemplo) que hoje facilitam o desvio das verbas públicas devem evoluir no sentido de tornar impossíveis, atos de corrupção de qualquer natureza e quando algo do gênero ocorrer a punição deve ser exemplar.


LIVROS



O PEQUENO PRÍNCIPE
Antoine de Saint-Exupéry

Vamos falar sobre a obra de um escritor francês que jamais ficava satisfeito com o que escrevia. A célebre frase "só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos", foi reescrita mais de dez vezes antes de alcançar sua forma final. Os manuscritos de O Pequeno Príncipe foram editados pelo autor incontáveis vezes até ser publicado e se tornar o grande clássico de todos os tempos!!

       É a história de um príncipe que mora num pequeno planeta distante da terra. O narrador estava consertando o seu avião depois de um pouso forçado no deserto do Saara, quando ouviu alguém lhe pedindo que desenhasse um carneiro. Era um pedacinho de gente, um garotinho de cabelos dourados. O Pequeno Príncipe.
        Ele se lembrou então, do seu primeiro desenho de criança, tentativa frustrada de levar os adultos a entender o mundo infantil , das pessoas de alma pura. Ele havia desenhado um elefante engolido por uma jiboia, porém os adultos só diziam que era um chapéu. Quando cresceu, testava o grau de lucidez das pessoas, mostrando-lhes o desenho e todos respondiam a mesma coisa. Um chapéu. Por causa disto, viveu sem amigos com os quais pudesse realmente conversar. E ali, no meio do deserto, não se sabe como, lhe aparece um principezinho pedindo para desenhar um carneiro.
        Queria um carneiro por que carneiro come arbustos, e assim poderia comer os baobás que eram um problema no seu planeta. O narrador ponderou que baobás são árvores grandes, e o príncipe explicou-lhe que eles nascem pequenos, mas ficou preocupado por que carneiros comem flores também, e ele tinha uma flor muito especial em seu planeta, uma flor que ele amava muito.
        A flor embora bonita e cheirosa era vã e exigente, ingênua e orgulhosa! Acreditava que seus espinhos a protegeriam. Exigiu que o príncipe a cobrisse com uma tela. Pediu para colocá-la sob uma redoma à noite para protegê-la do frio. Embora o príncipe a amasse, estava cansado de tantas exigências e resolveu viajar, aproveitando a companhia de um bando de pássaros que passavam em migração.
        Antes de chegar à Terra, o príncipe visitou muitos planetas. Um rei vivia no primeiro planeta que ele visitou. O rei ficou feliz por ter um súdito e exigiu obediência. O principezinho até aceitou por um tempo, mas depois se cansou e apesar das insistências do rei, resolveu continuar sua viagem.
        Visitou outros planetas e em cada um deles, conheceu pessoas diferentes. O segundo, planeta que o Príncipe visitou era habitado por um vaidoso; o terceiro, por um bêbado; o quarto, por um homem de negócios; o quinto, um acendedor de lampião; no sexto, um velho geógrafo que escrevia livros enormes, e, por último, ele visitou o nosso Planeta Terra. Na Terra queria descobrir amigos e conhecer muitos lugares e coisas. Um dia conheceu a raposa e fez amizade. Foi ela que uma vez lhe disse: - A gente só conhece bem as coisas que cativa, os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas, mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me! ...
        Certo dia, passeando com a raposa ele encontrou um jardim repleto de rosas iguais à florzinha do planeta dele... Achou que tinha perdido tempo, pois haviam muitas outras iguais e assim sendo, a florzinha do planeta dele não era tão especial. A raposa explicou então que todo o tempo que ele perdeu com aquela rosa, cuidando, protegendo, ouvindo-a queixar-se ou gabar-se, tirando as larvas, deixando apenas duas ou três, por causa das borboletas, protegendo com a redoma, para que ela não ficasse exposta ao vento, cada gesto, fez daquela rosa ÚNICA! As outras eram apenas rosas... mas aquela era a rosa dele, porque ele a havia cativado. E então concluiu dizendo:
        “Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa!"
        E o principezinho perguntou:
        Que quer dizer cativar?

        Passado tudo aquilo, ao olhar as estrelas, o narrador sorri, lembrando-se do seu Pequeno grande amigo. Para saber o preço e mais sobre o Pequeno Príncipe, clique aqui




Seleção de Livros! Clique e confira.
         

Sushi ou Maki?


comida japonesa

Quando o dia não está pra peixe o mau humor logo encontra uma brechinha e toma conta de muita gente. Mas, alguns pratos da culinária japonesa podem ajudar a levantar o astral até dos mais ranzinzas. A mistura de arroz com peixe, ingredientes muito usados na culinária oriental, são fontes de carboidrato e ômega 3, fundamentais na produção das substâncias que promovem o bem-estar e o bom funcionamento do sistema nervoso.
        Então, ao invés de devorar doces ou aquele prato calórico de macarrão, por que você não prefere o sushi ou o maki?
        Essas opções são bem mais leves, porém com quantidades suficientes de carboidrato para você ficar de bem com a vida, com os amigos e com a balança.
        O carboidrato promove um aumento das taxas de insulina que, por sua vez, eleva a captação de aminoácidos e a produção de serotonina. Essa substância é a responsável por sensações como otimismo, relaxamento e o sentimento geral de bem-estar. Pessoas com depressão, geralmente, têm baixos níveis desta substância que regula o sono, o apetite, a capacidade de aprender, dentre outros. Pesquise mais sobre a serotonina. Veja o quanto ela é fundamental para o ser humano.
        Outro aliado do bom humor é o ômega 3. Conhecido como gordura “do bem” ele colabora para a produção de neurotransmissores que atuam no sistema nervoso central. Encontrado nos peixes de água fria, atum e salmão, por exemplo, o ômega 3 reduz as inflamações, age favoravelmente na expectativa de vida e tonifica a memória. E tudo isso é motivo pra sorrir.


Seleção de Livros! Clique e confira.
       
COMER BEM

Empadinhas


                 

Recheio


Comece pelo recheio, para ir esfriando. Não coloque recheio quente na massa
2 peitos de frango
2 cubos de caldo de galinha
2 tomates picados sem semente
2 cebolas
1 fio de óleo
alho, sal e pimenta a gosto
cheiro verde a gosto
1/2 lata de molho de tomate pronto
2 colheres de sopa de extrato de tomate
1/2 copo de requeijão
Azeitonas a gosto

Fazendo o recheio:
Para cozinhar os peitos de frango coloque na panela de pressão por 10 minutos após a pressão com água, 1 tomate, 1 cebola, 1 cubo de caldo de galinha até a carne amaciar. retirar o caldo do cozimento do frango e reservar
Cortar o frango em pedaços e colocar na batedeira com os temperos do cozimento. Bater, até desfiar bem.

Massa


1 xícara de manteiga
1/2 xícara de óleo
2 gemas
1 xícara de leite
2 colheres de sopa de fermento (de bolo)
sal a gosto
4 xícaras de farinha de trigo (mais um pouco para amassar até dar o ponto)
1 gema para pincelar

Fazendo a massa
Colocar os ingredientes em uma bacia (menos a farinha de trigo e a gema para pincelar).
Colocar a farinha de trigo aos poucos, mexendo até virar uma farofa.
Coloque a massa na mesa e vá apertando (sem sovar) até que ela não grude mais nas mãos, e se ainda estiver oleosa, pode acrescentar um pouco mais de farinha de trigo.

Fazendo as empadinhas:
Coloque um pouco de massa nas forminhas e modele para retirar o excesso
Acrescente o recheio de frango.
Tampe com uma camadinha de massa aberta com o rolo, não muito fina.
Pincele gema e leve a assar em forno alto até corar.
Bom apetite!




Seleção de Livros! Clique e confira.
         

PARA LEMBRAR QUANDO
As coisas estiverem difíceis

Marília Milena

Sidarta Gautama



Sidarta Gautama, o Buda nos deixou um legado de grande sabedoria. Entre tantas pérolas, separo 10 conselhos deixados para quem está vivendo momentos difíceis. Existe, segundo Buda, uma forma de viver esses momentos de uma maneira mais tranquila e o segredo tem a ver com atitude.

1) AS COISAS SÃO O QUE SÃO
A nossa resistência às coisas é a principal causa do nosso sofrimento. Sofremos quando resistimos às coisas como elas são. Se você não pode fazer nada, se ninguém pode fazer nada, relaxe. Não lute contra a correnteza, busque alternativas, mas aceite o que não pode ser mudado. É inútil se consumir em sofrimento.

2) SE VOCÊ ACHA QUE TEM UM PROBLEMA, VOCÊ TEM UM PROBLEMA
Tudo depende da maneira como vemos as situações. Em um determinado momento as coisas parecem difíceis, no outro não. Sabendo disso, quando tiver uma dificuldade escolha entendê-la como um desafio, uma oportunidade de aprendizado. E a dificuldade será útil a você. Se enxergá-la como um problema, ela certamente será um problema.

3) A MUDANÇA COMEÇA EM VOCÊ MESMO
Seu mundo exterior é um reflexo do seu mundo interior. Temos o hábito de achar que tudo ficará bem quando as circunstâncias mudarem. A grande verdade, no entanto, é que as circunstâncias só mudarão quando tudo estiver bem em nosso interior.

4) NÃO EXISTE APRENDIZADO MAIOR DO QUE FALHAR
O fracasso não existe!!! Vamos entender isso de uma vez por todas. Todas as pessoas de sucesso falharam diversas vezes. Aproveite as falhas como uma oportunidade de aprendizado. Se fizer isso, na próxima vez estará mais perto do sucesso. Falhar não é fracassar. É aprender.

5) APRECIE O PRESENTE
Só temos o momento presente! Portanto não o deixe passar perdendo tempo com o passado nem sonhando com o futuro. Valorize seu momento presente. Ele é o único que existe. O próximo minuto ainda não existe e o minuto que passou não existe mais. É a partir do momento presente que você cria sua vida futura.

6) DEIXE O DESEJO DE LADO
Existem pessoas que vivem a vida guiadas pelos desejos. Isso é extremamente perigoso, um desejo não satisfeito se transforma em frustração. Frustrações desencadeiam energia negativa que retrai seu crescimento. Cultive sua felicidade incondicional e independente dos seus desejo, e tudo que você precisa chegará até você.

7) COMPREENDA SEUS MEDOS E SEJA GRATO POR ELES
O medo ao contrário do amor atrapalha sua evolução. No entanto ele é uma grande oportunidade de aprendizado. Quando você enfrenta e vence o medo, se torna mais forte e confiante. O medo é apenas uma ilusão opcional. Cabe a você optar por não aceitá-lo.

8) NUNCA SE COMPAREM COM OS OUTROS
Você é único, veio aqui para uma missão só sua e tão importante quanto a de qualquer outra pessoa. Mesmo assim se não conseguir evitar comparações, se compare a quem tem menos que você. Isso é uma ótima estratégia para perceber que tem muito mais do que precisa para ser feliz.

9) VOCÊ NÃO É UMA VÍTIMA
Você é o criador de suas experiências! Tudo que acontece a você foi atraído por você mesmo e é tudo necessário pra seu crescimento. Quando algo que considera desagradável acontecer com você pergunte: Por que será que atraí isso para minha vida? O que preciso aprender com essa experiência?

10) TUDO MUDA
Tudo passa. Situações difíceis também passam… Tudo nessa vida é dinâmico, tudo muda em segundos. Não fique se lamentando. Caso não saiba o que fazer, não faça nada. O universo não para de mudar, crescer e se expandir, então basta continuar insistindo em mudar, crescer e se expandir com ele. Confie e na medida em que for conseguindo sua mudança de consciência, encontrará em você mais poder. Você tem dentro de você a possibilidade de mudar o mundo. Acredite.

Tenha o melhor mês de novembro que você conseguir ter. Deseje o mesmo pra mim.




Livraria Cultura
       

HOROSCOPO
Fonte:“Worldwide Horoscopes”           novembro - 2016         ambos os sexos

.
NOVEMBRO
Em linhas gerais, Novembro será um bom mês para todos. Viveremos um clima de transformação e grandes mudanças. Todos estaremos mais abertos, mais benevolentes e mais humanos. Mercúrio em marcha direta para Escorpião transita em Sagitário a partir do dia 13 favorecendo as decisões futuras e inaugurando uma nova etapa que nos devolve a ilusão e a confiança para retomar sonhos esquecidos e trabalhar efetivamente, na prática, pela conquista de uma vida economicamente melhor.

AQUARIO - 21/01 a 19/02
aquário Algumas situações exigirão muito sangue frio para serem resolvidas, especialmente em família. O trabalho intelectual é favorecido. Facilidade para cuidar de si através do esporte. Período maravilhoso e significativo para você. Suas ideias serão postas em prática com muita facilidade neste mês. Sua capacidade de persuasão estará inigualável e você lutará por ganhos de forma atrevida e competitiva. Projetos que estavam estagnados há algum tempo voltam a progredir. Conflitos financeiros, embora prováveis, serão facilmente solucionados.

PEIXES - 20/02 a 20/03
peixes Em novembro os Senhores da Sorte e da Fortuna estão com você. Os assuntos profissionais estão se arrumando e você atinge o sucesso na carreira com facilidade. Procure descansar e relaxar mais e concentrar-se apenas nas prioridades. Embora as coisas estejam correndo maravilhosamente bem para você, as pessoas ao seu redor estarão mais voltadas para a ação e menos preocupadas com os sentimentos. Não as leve muito a sério.

ARIES - 21/03 a 20/04
aries Raciocínio aguçado e profundo que o ajudará a se concentrar em questões importantes e se libertar de alguns fardos. Mercúrio e Sol vão lhe ajudar a seguir em frente na direção de seus projetos profissionais. As coisas estão como você gosta: agitadas, excitantes e em constante movimento. O tempo é de ação, então seja rápido e objetivo e conseguirá alcançar novos patamares em sua vida. Vénus na sua Casa da carreira, o torna mais gentil e refinado em suas investidas, tanto as profissionais quanto as amorosas.

TOURO - 21/04 a 20/05
touro Outro mês de progresso e realizações. Novembro chega para concluir algumas situações de uma vez por todas. Mercúrio permite que você se expresse com bastante sinceridade e você corre o risco de não ser muito delicado. Afaste-se da agitação e do barulho. O Planeta do Dinheiro em Sagitário favorece às finanças, aumentando seus ganhos e expandindo os horizontes financeiros. Tudo acontece rápido este mês, e você consegue fazer em horas ou dias o que em outro momento levaria semanas ou meses. Vá em frente.

GÊMEOS - 21/05 a 20/06
gêmeos Você estará muito crítico em relação aos seus relacionamentos, em todos os setores. Suas expectativas afetivas se ampliam. Marte em trígono com seu signo pode fazer você falar sem pensar, aumentando as chances de discussões em casa. Cuidado com a língua para não ferir inconscientemente os sentimentos das pessoas. Faça amor, não faça a guerra. Projetos e planos, que estavam parados começam a se movimentar. O romantismo paira no ar.

CÂNCER - 21/06 a 21/07
câncer Mercúrio vai acentuar uma tendência à harmonia, que leva você a ter mais segurança de suas capacidades. É hora de fazer acordos que, à primeira vista, parecem impossíveis. Não pressione as coisas. Permita que as coisas boas aconteçam. Oportunidades que estavam paradas começam a avançar novamente. Muitas coisas boas estão acontecendo com você e neste mês de novembro o dinheiro poderá ser ganho de forma criativa e prazerosa.

LEÃO - 22/07 a 22/08
Leão O trânsito do Sol em quadratura com seu signo permite que você releve o mal humor de algumas pessoas e conduza seus projetos na direção certa. Você conseguirá simplificar as coisas, encontrando soluções ousadas. Se especialize e aprenda coisas novas. Continue a usar o tato, a diplomacia e a cooperação. Não é hora de excessiva independência e nem de resolver os seus problemas sozinho. Seu lado especulador, que corre riscos, está muito forte mas pare de agir e pensar como um milionário.

VIRGEM - 23/08 a 22/09
virgem Você alcançará seus objetivos profissionais, mas terá que expressar sua capacidade com luta e teimosia. As finanças estão firmes. Mercúrio, seu planeta regente, anuncia negociações que vão lhe trazer mais autonomia financeira. O perigo é o excesso de confiança. Não tente fazer tudo sozinho neste período. Continue a controlar seu temperamento e moderar a lingua. Este mês haverá muito calor e otimismo e você progredirá rápido em suas metas. Os investimentos provavelmente aumentarão seus lucros e as relações em família estarão ternas e calorosas.

LIBRA - 23/09 a 22/10
libra Novo equilíbrio financeiro e afetivo em sua vida. Se você estiver solteiro, você vai sentir uma necessidade de encontros maior do que de costume. Muita coisa boa vai acontecer neste mês graças ao seu espírito de independência e iniciativa. As finanças continuam boas. O otimismo reina solto e os membros da família estarão cooperando mais entre si, e menos agressivos do que vinham sendo. Haverá festas e divertimento a rodo. A sua vida ficará ainda mais animada e sua saúde permanece estável durante todo o mês.

ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11
escorpoão Surgem novas situações que favorecerão seu desenvolvimento pessoal. Você está pronto para fazer grandes esforços e avançar. Muita energia, impulso e iniciativa para criar o seu mundo como você deseja. Você ganhará facilmente a cooperação dos outros embora na verdade, não precise deles. Mesmo assim, leve em conta a experiência de pessoas mais velhas para aperfeiçoar seus métodos. A saúde vai bem, e o magnetismo pessoal está acentuado. Haverá progresso rápido e é você quem comanda a ação.

SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12
sagitário Mês feliz e movimentado, do jeito que você gosta. Mudanças positivas para sua carreira. Faça novos contatos e estude. Há oportunidades a aproveitar. Seja mais paciente no amor. Tendência a gastar em excesso como se o tempo das “vacas gordas” fosse durar para sempre. É melhor adiar compras para quando o seu julgamento estiver mais apurado. Seu momento é de otimismo e você enxerga claramente tudo que quer, só não vê as etiquetas de preço. O ritmo na atividade profissional e em casa se acelera. Um pouquinho de recolhimento não lhe fará mal algum.

CAPRICÓRNIO - 22/12 a 20/01
capricórnio Muitos benefícios para a sua evolução profissional. Aprofunde seus conhecimentos para continuar progredindo ou mudar radicalmente seu caminho. Você está no controle da sua vida e embora deteste decidir-se terá de lutar pelo seu lugar com decisões audaciosas e rápidas. As finanças melhoram dia após dia. O ritmo está acelerado demais para o gosto do capricorniano. Você gosta que as coisas ocorram em etapas administráveis e não de uma vez. Faça uma pausa para balanço. Venus chega em Capricórnio dia 5, trazendo graça, beleza, magnetismo, sentido estético e estilo. Evite dívidas.

BOTAS COM DESCONTO



Seleção de Livros! Clique e confira.
       

Vai uma pizza?


pizza

A pizza ganhou o mundo e tornou-se um dos alimentos mais apreciados do planeta por sua simplicidade, versatilidade e sabor.


Tudo indica que os criadores da pizza foram mesmo os italianos. Mas existem inúmeras hipóteses para explicar a chegada de alimentos semelhantes na península italiana, porque ao contrário do que muita gente pensa, a pizza não foi inventada na Itália. Uma dessas hipóteses relata que foram os egípcios que há mais de 5 mil anos assavam uma massa de grãos fermentada, coberta de ervas, para comemorar o aniversário do faraó, outra dá o crédito aos gregos, e uma terceira afirma que a invenção é dos fenícios. A mais provável no entanto, é uma quarta hipótese que afirma que o antecessor da pizza foi o pão turco, um disco de massa, coberto com carne moída e cebola semelhante a uma esfiha aberta levado pelos italianos de Nápoles no século XI durante as Cruzadas. Os napolitanos gostaram e foram aperfeiçoando, acrescentando outros ingredientes, tomate, orégano e acabaram inventando a pizza propriamente dita, por volta do ano de 1700.
        A pizza caiu no gosto popular e ganhou o mundo durante a crise europeia do final do século 19, que obrigou os italianos a migrarem para vários destinos, entre eles o Brasil.
        A primeira pizzaria do mundo, a Port´Alba, foi inaugurada em 1830, e funciona até hoje no número 18 da Via Port'Alba em Nápoles. Com o passar do tempo, a Pizzeria Port'Alba tornou-se ponto de encontro de artistas e escritores, que trocavam ideias e acabavam se inspirando para suas obras.
        De tanto ouvir artistas falarem bem sobre as pizzas de Nápoles, o Rei Humberto I foi com sua esposa, a Rainha Margherita à Pizzeria di Pietro experimentar. O pizzaiolo Raffaele Esposito, o mais badalado de Nápoles, preparou para o casal de visitantes ilustres, uma pizza com as cores da bandeira italiana, (vermelho, branco e verde), usando como ingredientes mussarela, tomate e manjericão. A rainha adorou, e o pizzaiolo decidiu homenageá-la, dando o nome dela à pizza. Hoje, no lugar da Pizzeria di Pietro funciona a Pizzeria Brandi, mas uma carta de congratulações assinada pelo então chefe de cozinha real, Galli Camillo, ainda está lá.
        Cada um tem o sabor de sua preferência, mas todos os que gostam de uma boa pizza não abrem mão de uma massa saborosa. Para o preparo da massa, usa-se farinha de trigo, açúcar, sal, azeite, água e fermento. Uma etapa importante no processo é sovar bem a massa e deixá-la em repouso, para a ação do fermento.
        Um fato famoso envolvendo a pizza, ocorreu na década de 1960, quando conselheiros do Palmeiras trocavam acusações, em meio à crise do momento no clube. Após horas de discussão, deu fome e eles então resolveram ir a uma pizzaria. Beberam muito vinho, comeram muita pizza e chegaram a um entendimento. O jornalista Milton Peruzzi que acompanhava tudo, ditou a manchete da Gazeta Esportiva do dia seguinte: "Crise do Palmeiras termina em pizza". Daí em diante, Quando um escândalo na política acaba não dando em nada, costuma-se dizer que "acabou em pizza".
        A pizza mais cara do mundo é a Bellissima Luxury Pizza, do restaurante Nino’s, em Nova York. Ela é coberta com lagosta fresca, 3 tipos de caviar, wasabi e creme fresco. Pode até ser belíssima, saborosíssima mas o preço é difícil de engolir. Custa U$1.000 (mil dólares).
        A maior rede de pizzarias do mundo é a norte-americana Pizza Hut. Ela está em 102 países e possui cerca de 12 000 filiais. Só no Brasil são 73 pizzarias. Por medo da concorrência, a Pizza Hut nunca abriu filial na Italia.
        A cidade onde mais se consome pizza no mundo é Nova York. A cidade de São Paulo vem em segundo lugar e Rio de Janeiro em terceiro. Mas em se tratando de país, o maior consumidor mundial de pizza é o Brasil. A pizza nasceu na Itália, mas foi aqui, do outro lado do oceano, que ela encontrou seus maiores admiradores.
        Os sabores mais pedidos nas pizzarias de norte a sul do país são, pela ordem: calabresa, margherita, portuguesa, frango com catupiry e mussarela.



Livraria Cultura
        

Matéria de outubro: Instituto peito aberto - contra o câncer de mama

ADRIANA GROSSE

Quando eu aprendi a me importar menos com o que as pessoas iriam pensar,
tudo fez sentido.

.
  Psicóloga Adriana Grosse

O primeiro passo para o crescimento pessoal é aceitar que não existe perfeição. Que estamos em constante desenvolvimento e que não vamos agradar a todos. Isto é claro, pois, viemos de famílias, costumes e valores diferentes.
        Quando sofremos com o que as pessoas pensam a nosso respeito ou nos magoamos facilmente, significa que inconscientemente estamos querendo ser aceitos e ao nos sentir rejeitados podemos ser inundados por sentimentos de tristeza, decepção ou raiva.
        O sentimento de rejeição também pode se manifestar quando sou eu quem critica, já que, inconscientemente eu não consigo me aceitar e projeto nas pessoas as criticas inconscientes que faço a meu respeito, desvalorizando o outro para me sentir melhor. Isso acontece quando estamos mais fora do que dentro de nós.
        Quando conseguimos fazer o movimento inverso de olhar para dentro, traçamos um novo caminho de autoconhecimento, amor próprio e felicidade. Consigo parar um ciclo de julgamentos e autocobranças e dar inicio a um ciclo de construção interna, de desenvolvimento, maturidade, aceitação, felicidade e autorrealização. Ah e isto de fato não tem preço!
        Se olhar, se perceber, se conhecer, pode ser a viagem mais fantástica da vida, já que ela me leva ao verdadeiro “Eu” onde consigo deixar as amarras de ser aceito, de ter que me enquadrar em um padrão, e me leva à liberdade interior.
        Essa liberdade interior promove a autorreflexão do “quem eu sou” e de “quem eu posso ser”, mas não a nível de agradar alguém e sim a nível de poder ser uma pessoa melhor e realizada.
        A realização pessoal ou profissional está envolta de melhorias internas, onde consigo me olhar, assumir qualidades, e aceitar que cada um é de um jeito.
        O sentimento de inveja indica que estou fora de mim e que não me acho competente. Tenho inveja da outra pessoa porque não me acho capaz.
        Ora, lembra? Não somos perfeitos e não vamos ter a vida do outro, temos a nossa própria vida e temos que olhar para ela e melhorar e nos superar.
        Se entramos no papel de vitima, de reclamar, vamos passar uma vida de miséria interior e infelicidades. Agora se consigo ser o protagonista da minha vida, vou sair do papel de vítima e dar inicio ao desenvolvimento interior e conseguir muitas coisas, algumas em curto prazo, outras em médio e outras em longo prazo, mas para isso é preciso planejamento e ação.
        A primeira coisa é saber que não sou perfeito, mais posso melhorar em muitos aspectos. Essa verdade precisa ser racionalizada, porque durante muitos anos acreditei que “não era bom o suficiente e que as pessoas eram melhores do que eu”. Isso é dito para você todos os dias pelo seu inconsciente e é hora de mudar essa crença da “infância” e trazer outra mais realista, “adulta”, que posso ser aquilo que quero ser, bastando dedicação, autoconhecimento e mudança.
        Quero ser um palestrante, ótimo, pratique. Todos os grande palestrantes um dia tiveram medo, tremeram, mais o mais importante, saíram da “zona de conforto” e você só sentirá orgulho de si próprio, se sair da zona de conforto, parar de reclamar e começar a transformar a sua vida. Comece a correr atrás dos seus objetivos e pare de pensar no que os outros acham, porque os outros podem achar o que quiserem, mas você, ah você não. Você precisa ter sonhos, metas e realizações. Precisar focar em você, a pessoa mais importante da sua vida e isso requer tempo, aprimoramento, e grandes transformações internas de pensamentos e crenças.
        De uma chance para você, reforme seus pensamentos e reformará toda a sua vida.

        Psicóloga & Coaching Adriana Grosse - CRP 08/18360

Psicóloga Adriana Grosse


Livraria Cultura
       


Paraná

Mariolinda Ribeiro

“Paraná” é uma palavra de origem tupi que significa "rio". Daí se deduz que foi o rio Paraná, que cedeu seu nome para designar toda a região. O rio Paraná além de emprestar o nome, empresta também seu curso, para delimitar toda a fronteira oeste do estado, onde ficava o salto de Sete Quedas , hoje submerso pela represa da Usina Hidrelétrica de Itaipu.

O estado do Paraná possui num território de aproximadamente 200 mil km², belezas naturais com grandes reservas da Mata Atlântica preservadas, rios, ilhas paradisíacas, oferecendo aos visitantes, muitas possibilidades de lazer e uma gastronomia que é a mistura das influências de todos os povos que chegaram e dos povos indígenas que habitavam suas terras.
        Os pioneiros fizeram a terra produzir café, trigo, soja e outras riquesas. Dedicaram-se à pecuária, fundaram cidades como a capital Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá e Cascavel, e cultivaram a cultura, através da arte, do artesanato, da culinária e do folclore.
        São 10 as opções turísticas do Paraná: Litoral, Rotas do Pinhão, Campos Gerais, Terra dos Pinheirais, Estradas e Caminhos, Corredores das Águas, Riquezas do Oeste do Paraná, Vales e Cataratas do Iguaçu e Caminhos do Lago Itaipu.

Curitiba, verde e cosmopolita
        Com seu bem projetado urbanismo, seu avançado sistema integrado de transporte coletivo urbano e umaitaipu a noite exemplar preservação ambiental, a cidade tem o charme de uma capital de primeiro mundo. Charme que transparece no bairro gastronômico de Santa Felicidade, nos memoriais étnicos, no teatro Ópera de Arame (construído no pátio de uma pedreira desativada) e no Museu Oscar Niemeyer, referência da moderna arquitetura. Seus vários parques lhe conferem o invejável índice de 64,5m2 de área verde por habitante e o diversificado calendário de eventos oferece festivais de dança, música e teatro.

Litoral
        A pequena extensão de um litoral charmoso, repleto de alternativas turísticas surpreende o visitante por suas belezas naturais, vilarejos encantadores, rios, praias tranquilas e ilhas de praias paradisíacas, natureza preservada, construções históricas como a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, do século XVIII, o Farol das Conchas e a bela e misteriosa Gruta das Encantadas na ilha do mel
        . Entre as grandes atrações do litoral estão os caminhos históricos: Estrada da Graciosa, Estrada de Ferro Paranaguá – Curitiba e o centenário Caminho do Itupava, importante via de ligação entre o litoral e o planalto.
        O litoral é o berço da colonização do estado e abriga as cidades históricas de Guaraqueçaba, Morretes, Antonina e Paranaguá. No litoral também está a porção de Mata Atlântica mais preservada do Brasil. Em suas baías éaquario de Paranaguá possível avistar os golfinhos e a pacata vida dos pescadores da região. Os balneários de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná são procurados para atividades de lazer, sol e praia.
        Paranaguá exibe seu passado no conjunto de edificações do centro histórico, nos antigos casarões da Rua da Praia, no Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR, nas igrejas e no Mercado Municipal do Artesanato. No Aquário Marinho, mesmo sem a suntuosidade de outros aquarios, você faz um passeio simples, cultural, que pode se estender por horas. Um passeio ideal para fazer com crianças. Ver de perto a vida marinha é bem bacana.

Foz, destino turístico do mundo
        itaipu a noiteUma das sete maravilhas da natureza, Foz de Iguaçu recebe turistas do mundo inteiro. O parque, tombado como Patrimônio Natural da Humanidade, preserva exuberante flora e fauna e abriga as cataratas com 275 quedas d’agua de altura média superior a 80 metros. A região da tríplice fronteira oferece ainda como atrativos o Parque das Aves, o Rio Paraná, a Hidrelétrica de Itaipu e seu imenso lago de água doce de 1.350 km² de superfície.

Passeio de Litorina
        itaipu a noite Quem já fez, garante que é inesquecível. O passeio de trem ou de litorina pela centenária estrada de ferro Curitiba-Paranaguá, construída em 1880, atualmente chegando só até Morretes, percorre cerca de 110 km num espetacular cenário da Mata Atlântica.

Terra dos Pinheirais
        Localizada no centro-sul do Paraná, a região surpreende com densas florestas de araucária, rios caudalosos, belas paisagem e uma geografia acidentada com cachoeiras gigantes. A Terra dos Pinheirais abriga a população e as culturas ucraniana, polonesa, italiana e alemã.

Campos Gerais
        Em Vila Velha, por mais que já conheça por fotografias e postais, o visitante se surpreende com as monumentais formações de pedra, que os tupis chamavam de “Itacueretaba” (a extinta cidade de pedra), e num momento ainda mais antigo, de “Abaretama”, a terra dos homens, que havia sido escolhida pelos primitivos habitantes da região para guardar e preservar o “itainhareru”, precioso tesouro, sob a proteção de Tupã. O Cânion do Guartelá com seus monumentos geológicos proporciona encantos, lendas e mistérios aos Campos Gerais. E na divisa de Castro e Tibagi, no Parque Estadual do Guartelá, o sinuoso Rio Iapó corta o desfiladeiro com grandes corredeiras, transformando-se no imenso Cânion do Iapó, um dos mais extenso do mundo.

Rotas do Pinhão
        No Norte do Paraná, muitos paraísos podem ser descobertos nas "Rotas do Pinhão". Aventura, história, gastronomia, paisagens bucólicas e rurais. A Lapa possui um centro histórico de 14 quarteirões tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Em Balsa Nova a taça de vila velhatem a Vila de São Luis do Purunã, e Campo Largo se destaca pela produção de louça e porcelana.



A LENDA DA EXTINTA CIDADE DE PEDRA

        Esta é uma lenda que foi durante milhares de anos, transmitida de geração a geração pelos povos das tribos tupi que habitaram a região de Vila Velha. Conta sobre um local amaldiçoado, destruído pela ira de Tupã.
        Seu nome antigo era Abaretama, a terra dos homens, e havia sido escolhida pelos primitivos habitantes da região, para guardar e proteger o itainhareru, o precioso tesouro que o filho do deus Tupã havia trazido de tão longe que até camelos e muitas canoas gigantes foram usados para transportá-lo. Este sagrado tesouro era vigiado dia e noite por um grupo de jovens, os Apiabas, moços rigorosamente escolhidos, selecionados dentre todas as tribos e treinados com a única finalidade de vigiá-lo e guardá-lo dos olhares inimigos.
        Os Apiabas tinham muitos privilégios, mas eram proibidos de ter qualquer contato com mulheres, para não se distraírem ou não serem enganados por elas colocando em risco o trabalho divino. Todas aquelas comunidades indígenas acreditavam que se as mulheres passassem a conhecer o segredo do Abaretama, elas o espalhariam por toda a parte colocando a todos em risco e facilitando a tomada deste tesouro pelos inimigos de seu povo. E pior: se o sagrado tesouro do Abaretama fosse perdido, Tupã afastaria sua mão protetora de cima deles e toda a forma de desgraças se abateria sobre as tribos, que seriam amaldiçoadas para sempre.
        Ocorre, que certa vez, foi escolhido um jovem índio de nome Dhui, para ser o chefe dos Apiabas. Dhui foi preparado, como os outros, desde muito jovem, para exercer sua função na guarda do tesouro do Abaretama. Aprendeu as leis de Tupã e os segredos da guerra. No entanto, na idade adulta ele descobriu que seu coração ardia pelos encantos femininos.
        Estas coisas são muito difíceis de esconder, e logo todos da aldeia já sabiam dos anseios de Dhui, e fora da aldeia também. As tribos inimigas então, resolveram se aproveitar a lagoa dourada de Dhui para tomar posse do sagrado e ambicionado tesouro. Escolheram dentre as suas donzelas a mais bela de todas, Aracê Poronga (Aurora Bonita) e a enviaram para conquistar o coração do jovem guardião. A bela Aurora Bonita soube conquistar, pouco a pouco o jovem guerreiro Dhui com seus encantos, até que um dia ele permitiu sua entrada no Abaretama.
        Entretanto, a encantadora Aracê Poronga também se deixou levar pela beleza masculina de Dhui e apaixonou-se por ele, traindo seu povo e abandonando sua missão. Aracê decidiu não transferir o segredo do Abaretama para seu povo e Dhui, apaixonado, permitiu que ela penetrasse na tenda sagrada do itainhareru e numa das taças do tesouro sagrado tomaram o Uirucuri e ele a desposou.
        Irado com a quebra do compromisso, Tupã desencadeou um grande terremoto sobre a região e toda a planície foi abalada. A “terra dos homens” foi transformada em pedra, juntamente com os dois amantes ao lado da taça, na qual ambos tomaram o Uirucuri, o licor de butias e se embebedaram.
        Cairam as tribos tupi. Para proteger o itainhareru, Tupã fez nascer de suas pedras preciosas àgua cristalina, e do seu ouro, peixinhos dourados, criando sobre seu tesouro uma lagoa que chamou de Lagoa Dourada. Ao alvorecer, os primeiros raios de sol cintilam sobre as águas, como os brilhantes nas arcas do itainhareru, e quando o sol desce, as águas refletem uma misteriosa cor de ouro, sobre os segredos do Abaretama e de Itacueretaba, a extinta cidade de pedra.
        Os sobreviventes desse povo antigo, após tão terríveis acontecimentos, se mudaram para outras regiões, e o tempo transformou as ruínas em lenda para mostrar aos povos que viessem no transcorrer das gerações, a grandiosidade daquele passado perdido, a mercê das chuvas e ventos que ainda castigam aquelas terras.




Livraria Cultura
       

Como Você Pôde?

Maurício Fernandes

Quando eu era filhote, pequenininha, você se divertia com minhas travessuras. Você me chamava de garotinha e apesar dos sapatos mastigados e das almofadas destruídas, eu me tornei sua melhor amiga. Se eu fazia alguma coisa errada você criança abraçando cão chacoalhava seu dedo pra mim e dizia; “como você pôde?” - “garotinha, como você pôde?”, mas depois você se arrependia e me rolava no chão pra coçar minha barriga. Na época, você tinha todo tempo do mundo pra brincar comigo, mas tudo foi mudando tão depressa! Eu me lembro que meu treinamento demorou mais do que o esperado, porque você estava sempre ocupado demais.
        Á noite eu me aninhava a você na cama e escutava suas confidências, seus sonhos secretos, e acreditava que a vida não podia ser mais perfeita. A gente fazia caminhada no parque e no verão a gente parava para um sorvete. Você dizia que sorvete não faz bem pra cachorro, e só me dava uma banda de casquinha. Eu tirava longos cochilos ao sol esperando você voltar pra casa no fim do dia. Aos poucos você passou a ficar cada vez menos tempo em casa e eu sempre esperei por você pacientemente. Confortei suas mágoas e desilusões.
        Me lembro do seu casamento. Sua esposa não era uma pessoa apreciadora de cães. Eu tentei mostrar-lhe afeição e a obedeci. Me sentia feliz porque você estava feliz.
        Então veio seu filho, bebezinho, e eu reparti com você o entusiasmo de cuidar dele, mas você e ela tinham medo que eu pudesse machucá-lo e eu passei a maior parte do tempo sendo banida pra fora. Mesmo assim, à medida que ele foi crescendo me tornei amiga dele. Ele se agarrava ao meu pelo e se levantava sobre perninhas trôpegas. Cresceu. Correu e brincou comigo como você corria e brincava. Eu me esgueirava pra pertinho da cama dele e juntos esperávamos pelo barulho do seu carro chegando.
        Antigamente, quando alguém perguntava se você tinha cachorro, você tirava uma foto minha de sua carteira e contava histórias sobre mim. Isso foi a muito tempo. Nos últimos anos você apenas dizia sim e voltava pra seus assuntos importantes. Eu não era mais sua garotinha. Era apenas um cachorro. Você reclamava de cada gasto que tinha comigo! Até que vocês resolveram se mudar para um apartamento onde não permitem animais e você tomou a decisão que julgou mais acertada. À tarde você veio com seu filho e me convidaram para um passeio de carro. Foi uma surpresa. Imaginei coisas. Fiquei feliz, até que chegamos ao abrigo de animais. O canil do Centro de Controle de Zoonoses.
        Aquele lugar tinha um cheiro de gato, de medo e de desesperança. Nosso criador nos concedeu o dom de identificar pelo cheiro muito mais coisas que os humanos. Traição fede. Deslealdade também. Você preencheu a papelada e disse “sei que vocês encontrarão um bom lugar pra ela... E que ela vai ser bem tratada aqui... Quem sabe ela não vai viver melhor agora... não é?”- e tentou um sorriso.
        Você certamente não sabia o que esperava ali, um cão velho feito eu, mesmo com “papéis”. Você teve que arrancar as mãos do seu filho da minha coleira enquanto ele gritava que você não podia me deixar ali. Me preocupei com ele. Com a lição que você acabava de lhe dar sobre amizade e lealdade, responsabilidade e respeito pelos animais.
        Você deu um afago de adeus na minha cabeça e não quis levar minha coleira e minha guia com você. Foi embora. As duas mulheres se abaixaram pra me confortar, mas eu só tinha um pensamento queimando minha cabeça “como você pôde?”.
        De início, quando alguém passava pela minha jaulinha eu me levantava na esperança que fosse você - que tivesse mudado de ideia ou que ao menos fosse alguém que pudesse me querer e me salvar. Mas eu nunca que ia poder competir com a graça dos alegres filhotes e suas brincadeiras para chamar atenção. Me afastei pro canto do fundo da sela e fiquei lá. Evitava pensar no que ia acontecer se ninguém mais me quisesse. Não sei quantos dias fiquei lá. Acho que foram muitos.
        Ela veio até mim no final do dia. Eu a segui pelo corredor para uma sala separada. Uma sala deliciosamente silenciosa. Ela me colocou sobre a mesa e acariciou minhas orelhas. Meu coração se acelerou na expectativa do que estava pra vir. Mas havia também uma sensação de alívio. Uma necessidade de descansar.
        Ela colocou um torniquete em volta de minha perna dianteira e acho que vi uma lágrima brilhar nos olhos daquela mulher acostumada àquilo. Lambi sua mão como costumava fazer pra te confortar a tantos anos atrás. A agulha invadiu minha veia e um frio se espalhou pelo meu corpo. Deitei a cabeça sonolenta, olhei dentro dos olhos da mulher e murmurei “como você pôde!?” Meu corpo parece se esvaziar aos poucos, mas eu ainda sinto a mão da mulher acariciando minha cabeça. Ela diz qualquer coisa sobre um mundo melhor, onde eu não serei maltratada nem abandonada. Um lugar diferente e cheio de luz. A pobre mulher pensou que foi pra ela, que eu murmurei “como você pôde?” Mas era em você que eu estava pensando. Em você! “como... você... pôde?”

Agroviário São Lucas